Líder religioso suspeito de importunação sexual e estupro em MG oferecia banhos íntimos a fiéis, apontam depoimentos

29 dez 2023
Fique por dentro de todas as notícias pelo nosso grupo do WhatsApp!

Frequentadoras de centros umbandistas acusam Expedito Moisés dos Santos por ameaça e violação mediante fraude. Suspeito negou acusações. Líder religiosos teria ameaçado frequentadora de terreiro após fechamento do mesmo

g1

O líder religioso acusado de importunação sexual e estupro contra, ao menos, seis mulheres em Juiz de Fora oferecia banho íntimo a fiéis, apontam os depoimentos das denunciantes, que o g1 teve acesso. O caso é investigado pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). Já o homem negou os crimes.

Compartilhe no WhatsApp

Compartilhe no Telegram

Uma das acusações contra Expedito Moisés dos Santos é de uma mulher de 33 anos. Segundo ela, que preferiu não ser identificada, ele falou que a mesma precisava tomar um banho íntimo.

“Tinha que me dar um banho íntimo, nas minhas partes íntimas, que estava precisando de um banho desses”, disse à polícia.

O mesmo teria ocorrido com a jovem de 23 anos, que alega que Expedito lhe ofereceu um banho porque o marido iria traí-la e que ela precisaria estar nua.

RELEMBRE: Seis mulheres denunciam líder religioso por importunação sexual e estupro em MG

“Ele disse que meu marido iria me trair e que o banho era para ele me olhar com outros olhos. Sabia que ele, como pai de santo, não poderia dar banho, dado somente por outras mulheres. Quando perguntei se ele conhecia alguma, ele disse que não e que era para eu confiar nele”.

Outra situação com a jovem ocorreu durante uma festa de aniversário na casa do pai de santo. Conforme a vítima, ela contou para o homem que iria fazer uma prova de concurso.

🔔 Receba no WhatsApp notícias da Zona da Mata e região

“Ele começou a falar sobre a prova comigo em um tom que todos estavam escutando e logo em seguida chegou no meu ouvido e disse que iria me auxiliar na prova, que era para tomar um banho que ele iria me passar para dar certo, mas que ele queria fazer uma coisa comigo que não era do santo. Perguntei o que era e ele disse que queria passar a mão na minha bunda”.

Desconfortável com a situação, a jovem contou que pediu ao namorado para que eles fossem embora e na hora da despedida Expedito teria assediado a mulher.

“Contei essa história para o meu namorado e no dia seguinte disse que não iria mais no centro de umbanda. Logo que isso aconteceu ficamos sabendo dos outros casos", complementou.

Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher em Juiz de Fora, foto de arquivo

Polícia Civil/Divulgação

O que diz o denunciado?

Em declaração à polícia, Expedito Moisés confirmou ser dirigente de um centro de umbanda, mas negou ter importunado as mulheres.

O homem também negou as ameaças e que teria proposto dar banhos religiosos nas mulheres.

O g1 entrou em contato com o suspeito, mas as mensagens não foram respondidas.

Nota do advogado das denunciantes

"É com profundo respeito e admiração pela coragem das vítimas que represento que divulgo esta nota à imprensa. Eu, como advogado das seis vítimas envolvidas no inquérito em andamento que apura importunação sexual, violação sexual mediante fraude e o gravíssimo crime de estupro de vulnerável contra uma menina de 13 anos, reconheço a seriedade e a gravidade dos delitos em questão. A coragem demonstrada por estas vítimas em denunciar tais atos é digna de reconhecimento. Este é um passo crucial na busca por justiça e na defesa dos direitos humanos, especialmente quando se trata de um crime tão abominável como o estupro de vulnerável. O inquérito está em andamento, e confiamos plenamente no trabalho das autoridades competentes. Acreditamos na eficácia do sistema de justiça em garantir que o responsável por esses atos seja responsabilizado criminalmente por todas as suas condutas criminosas. Neste momento delicado, expresso minha solidariedade às vítimas e suas famílias, reiterando meu compromisso em buscar justiça e garantir que cada uma delas seja ouvida e amparada ao longo deste processo. A justiça está em curso, e confiamos que o desfecho deste processo será um exemplo de responsabilidade e reparação”.

*estagiário sob supervisão de Carol Delgado.

LEIA TAMBÉM:

TRAGÉDIA: Em áudio, motorista teria se queixado de ambulância que bateu e matou 5 em MG

JUSTIÇA: Motociclista que teve perna amputada em acidente com caminhão será indenizado em R$ 100 mil por transportadora

NO FUNDO DO POÇO: Cachorro é resgatado pelos bombeiros após cair 7 metros em Juiz de Fora

📲 Siga o g1 Zona da Mata: Instagram, Facebook e Twitter

📲 Receba no WhatsApp as notícias do g1 Zona da Mata

VÍDEOS: veja tudo sobre a Zona da Mata e Campos das Vertentes


FONTE: G1 Globo