Musk já havia usado emoji de cocô em discussão com ex-chefe do Twitter, demitido na quinta

28 out 2022
Fique por dentro de todas as notícias pelo nosso grupo do WhatsApp!

Em maio, o bilionário e Parag Agrawal discutiram sobre os métodos utilizados pela plataforma para verificar a quantidade de contas falsas ativas na rede social. Elon Musk e Parag Agrawal já haviam batido boca via Twitter.

Reuters e Divulgação/Twitter

A demissão de Parag Agrawal, agora ex presidente-executivo do Twitter, é o capítulo mais recente da relação pouco cordial que ele mantinha Elon Musk, que agora é dono da plataforma.

O bilionário demitiu Agrawal na quinta-feira (27), quando comprou a rede social por US$ 44 bilhões.

CONTENTE: Trump diz estar feliz por aquisição do Twitter por Elon Musk

LIBERDADE: 'O pássaro foi libertado', diz Elon Musk após comprar Twitter

No dia 16 de maio deste ano, Musk usou um emoji de cocô para ironizar Agrawal sobre como era feita a estimativa de contas falsas na rede social.

Também em maio, Musk revelou que, para estimar a quantidade de contas falsas e de spam, o Twitter utiliza uma amostra de 100 perfis. Em seguida, ele disse que a equipe jurídica da empresa o acusou de violar um acordo de confidencialidade ao divulgar o tamanho da amostragem.

Em uma sequência de tuítes, Agrawal afirmou que menos de 5% dos usuários diários da rede social são contas voltadas para spam.

"Nossa estimativa é baseada em várias revisões humanas (em réplicas) de milhares de contas, que são amostradas aleatoriamente, de forma consistente ao longo do tempo, de contas que contamos como usuários diários ativos e monetizáveis. Fazemos isso a cada trimestre e fazemos isso há muitos anos".

O executivo afirmou que cada revisão humana era baseada nas regras do Twitter sobre spam e usava dados públicos e privados para chegar a uma conclusão sobre cada caso.

Em resposta a Agrawal, Musk ironizou: "Já tentou ligar para eles?"

Elon Musk rebate Parag Agrawal, CEO do Twitter sobre métricas para contas falsas

Reprodução/Twitter

Agrawal disse que, diariamente, o Twitter suspende mais de 500 mil contas por spam. Ele também afirmou que, em casos de suspeita de spam, a plataforma bloqueia o acesso e exige que os usuários comprovem que são humanos por meio de códigos "captcha" e verificações por telefone.

O então presidente-executivo do Twitter apontou que as estimativas sobre contas de spam estavam bem abaixo dos 5% divulgados pela empresa, mas alegou que não pode revelar a projeção exata.

"Infelizmente, não acreditamos que essa estimativa específica possa ser divulgada externamente, dada a necessidade crítica de usar informações públicas e privadas (que não podemos compartilhar)", escreveu Agrawal.

Musk respondeu com um emoji de cocô e questionou: "Então, como os anunciantes sabem o que estão recebendo pelo seu dinheiro? Isso é fundamental para a saúde financeira do Twitter".

Elon Musk e o Twitter: Uma relação antiga e polêmica


FONTE: G1 Globo


VEJA TAMBÉM